N.º 5 | Janeiro de 2010

Tendo como tema principal os «Desafios do Ensino e Formação em Segurança e Saúde do Trabalho», o 9º Congresso Internacional de Segurança e Saúde do Trabalho decorre nos  dias 28 e 29 de Janeiro, no Centro de Congressos do Porto - Edifício da Alfândega.

“Trata-se de um tema de capital importância para o desenvolvimento estrutural de todos os aspectos relacionados com a prevenção do risco profissional e da melhoria de condições de trabalho. Sujeitar toda a vasta panóplia de intervenções na prevenção do risco profissional, em qualquer quadrante do trabalho a nível global, sem equacionar estratégias de elevada qualidade nos domínios do ensino e da formação em Segurança e Saúde do Trabalho, é absolutamente irreal, nos nossos dias”, afirma Alberto Silveira, Presidente do Congresso, no Convite para participação no Congresso.

O investimento na formação constitui uma forma de valorização face ao mercado e aos seus concorrentes directos, e este principio é válido quer para particulares quer para as empresas.

Conscientes deste facto, disponibilizamos, desde já, o calendário de formação para o primeiro trimestre de 2010. Chamando, particularmente, a atenção das empresas, pois têm a obrigação de dar 35 horas anuais de formação aos seus funcionários, sendo as Noções Gerais de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, os Primeiros Socorros e a Prevenção e Protecção contra Incêndios, áreas de formação obrigatória.

Este mês lançamos um NOVO curso da área da saúde: SUPORTE BÁSICO DE VIDA (SBV).

Chegados a 2010, ano que encerrará a primeira década deste novo século, fizemos um levantamento dos principais acontecimentos destes 9 anos. E, apesar dos muitos acontecimentos positivos verificados, lamentavelmente, o peso da balança pende significativamente para o lado negativo.

De facto, estes  9 anos que passaram ficam essencialmente marcados por vários acontecimentos de consequências absolutamente devastadoras para o Homem e para o meio ambiente.

No passado dia 17-12-2009, por volta da 1h37 Portugal abanou. O sismo de 6.0 na escala de Richter fez-se sentir em todo o território nacional. O abalo teve o seu epicentro no mar, a 30 quilómetros de profundidade, a 185 quilómetros de Faro e a 265 quilómetros de Lisboa, com a duração de dois minutos, apenas foi sentido pelas pessoas durante cinco a oito segundos, sem registo de danos materiais ou humanos. O Instituto de Meteorologia registou várias réplicas, mas todas de menor intensidade.

Parece que há consenso entre a comunidade científica, quanto ao facto do Ar Condicionado trazer inúmeros malefícios para a saúde e sobretudo para o planeta. É prejudicial à saúde, é dispendioso, contribui para o envelhecimento precoce da pele, pode ser uma fonte de contaminação dos espaços, e contribui, em muito, para o aquecimento global. Contudo, entre a população geral continua a ser percepcionado como o “bom samaritano”, que refresca no verão e aquece no inverno, como um indicador de riqueza e símbolo de qualidade de vida e de desenvolvimento.  Mas a realidade é que o Homem tem de sair do seu entorpecimento de confortabilidade imediata e começar a agir correctamente face a este vilão!