N.º 27 | Dezembro de 2011

A resposta do sistema imunitário humano a ameaças externas provocadas por agentes químicos e biológicos pode assumir a forma de reacções alérgicas nas vias respiratórias. Neste sentido, a qualidade do ambiente no local de trabalho contribui de forma significativa para o impacto destas doenças. Devido à variação nos períodos de latência, as doenças respiratórias crónicas podem ocorrer precocemente ou apenas muitos anos depois.

No passado dia 1 de Dezembro comemorou-se o Dia Nacional de Luta Contra a SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida), doença não hereditária causada pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH ou HIV) que enfraquece o sistema imunitário do organismo ao, progressivamente destruir os linfócitos (glóbulos brancos) e, consequentemente, a capacidade de defesa em relação a muitas doenças.

A saúde e o bem-estar no local de trabalho são dois dos principais pré-requisitos para o alcance de uma boa produtividade e de um bom desempenho. Deste modo, a manutenção de uma inadequada qualidade do ar no interior dos locais de trabalho fechados, pode afectar a saúde dos trabalhadores e diminuir a produtividade da empresa, originando prejuízos financeiros.

 

A iluminação constitui um factor que influencia directamente o conforto, a produtividade e a saúde dos profissionais no local de trabalho, podendo provocar efeitos nocivos, seja por deficiência, seja por excesso. Na obtenção de um bom ambiente de trabalho é importante garantir a existência de uma iluminação adequada, caso contrário aumenta a probabilidade de ocorrência de atrasos na execução das tarefas, bem como de aparecimento de stress, dores de cabeça ou fadiga física e nervosa, tendo como principal consequência o absentismo.