N.º 35 | Agosto de 2012

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), atualmente, cerca de 20% das populações dos países desenvolvidos trabalham no período da noite. De facto, ao longo dos últimos 20 anos, verificou-se um aumento significativo na prática de se usar dois ou mais turnos laborais em processos produtivos que excedem a duração de um dia regular de trabalho (ex.: postos de gasolina, farmácias, hospitais, redes de supermercado, etc.). A prática regular de um horário de trabalho por turnos e/ou noturno...

Estando nós em plena época de Verão, é certo que os dias são mais longos, com temperaturas acima da média e níveis de humidade relativamente altos. Deste modo, torna-se importante compreender o modo como o nosso organismo reage a estas alterações e quais as melhores estratégias que visam minimizar os constrangimentos decorrentes.

Antigamente, no mundo do trabalho, acreditava-se que um indivíduo alcançava o sucesso se fosse possuidor de um bom raciocínio lógico, tivesse habilidade com os números e possuísse uma boa memória. Contudo, na atualidade, cada vez mais o sucesso depende de outros fatores, tais como as relações interpessoais, a capacidade de trabalhar em equipa, a capacidade de ouvir e de entender a posição dos colegas, a capacidade de “ouvir” a nossa consciência, ou seja, a capacidade de lidar com as emoções e reagir adequadamente a elas.