N.º 58 | Julho de 2014

Lean thinking é um revolucionário paradigma de liderança e de gestão que através de ferramentas simples aplicadas por pessoas normais consegue resultados extraordinários. Uma organização lean procura continuamente identificar e eliminar todas as fontes de desperdício, enquanto cria valor para todos os seus stakeholders. Nestas, o trabalho em equipa é um requisito e as pessoas contribuem voluntariamente com as suas ideias e sugestões no sentido da melhoria contínua. Hoje, o pensamento lean é aplicado a todos os tipos de organizações, públicas ou privadas, com ou sem fins lucrativos. (...)

Os fatores inerentes a algumas condições de trabalho (trabalhos perigosos, horários prolongados, trabalho por turnos, ritmos excessivos, distress, frustração, falta de estímulo, baixos salários, insegurança no emprego, etc.) são suscetíveis de afetar negativamente a saúde dos trabalhadores, comportando múltiplos fatores de risco, quer físicos, quer psicossociais, interagindo e potenciando os problemas ligados ao consumo de álcool e outras drogas.    (...)

A voz constitui o meio de comunicação mais comum, sendo da maior importância nas relações sociais e na vida profissional. A saúde vocal torna-se relativamente importante nos profissionais da voz, ou seja em todos os indivíduos que dependem da voz para exercer a sua profissão, como por exemplo: cantores, atores, professores/ formadores, pastores e padres, advogados, juízes, promotores, repórteres, radialistas, operadores de telemarketing, leiloeiros, políticos, vendedores, etc. (...)

Os riscos psicossociais decorrem de deficiências na conceção, organização e gestão do trabalho, bem como de um contexto social de trabalho problemático, podendo ter efeitos negativos a nível psicológico, físico e social. Os trabalhadores sofrem de stresse quando as exigências inerentes à função excedem a sua capacidade de lhes dar resposta. Em seguida, apresentamos alguns exemplos de condições de trabalho propícias ao desenvolvimento de riscos psicossociais: (...)