N.º 74 | Novembro de 2015

As estatísticas ilustram que os jovens adultos entre os 18 e 24 anos de idade têm maior probabilidade de ter um acidente grave no trabalho do que os adultos mais velhos.

Podem ser expostos a condições de trabalho inadequadas, levando ao desenvolvimento de doenças profissionais ainda em jovem ou numa fase mais adiantada da sua vida.

Os jovens, sendo novos no local de trabalho, podem não ter experiência e, muitas vezes, maturidade física e psicológica, para não levar suficientemente a sério os riscos a que estão expostos ou porque simplesmente não estão suficientemente informados.

O número de trabalhadores mais “velhos” é cada vez maior entre a população ativa. Uma vez que as pessoas têm uma vida profissional ativa mais prolongada, a gestão da Segurança e Saúde no Trabalho, no domínio do envelhecimento da população ativa, passou a ser uma prioridade.

Aumentar os níveis de emprego e prolongar a vida ativa das pessoas constituem objetivos importantes das políticas nacionais e europeias desde o final da década de 1990.

O objetivo em matéria de emprego da Estratégia Europa 2020, de aumentar a taxa de emprego da população com idades compreendidas entre 20 e 64 anos para 75%, significa que os cidadãos europeus terão uma vida profissional ativa mais prolongada.

Temos que ter em conta que o declínio relacionado com a idade afeta principalmente as capacidades físicas e sensoriais, que são relevantes, sobretudo, para o trabalho físico pesado.

Ninguém pretende que cada um de nós seja um Einstein!...